INSCRIÇÃO DE NOVOS POETAS

Novos Poetas

Devido ao crescente número de pedidos de inscrição no site, disponibilizamos o respectivo formulário eletrônico, agora localizado na barra de menu. Mais um tímido, porém, firme passo em direção a uma nova fase de existência da Voz da Poesia. Sob renovada feição administrativa, estamos a sinalizar para o futuro amplas mudanças dos seus aspectos visuais e funcionais, com o reforço também da qualidade e da segurança da informação. Convidamos nossos leitores a ficarem sempre atentos às novidades!

Comentários (6)

Esse poema é muito bom: do bem (apesar de tudo quer o bem)
Avatar do visitante

Luiz Antonio Batista da Rocha · 18/12/2015, às 17h28

Todos artigos, poesias e músicas estão disponíveis no meu site www.outorga.com.br. Visitem. Rocha O site A voz da poesia é muito bom. Parabéns.
Avatar do visitante

sirlanio Jorge Dias Gomes · 08/01/2016, às 14h00

curtam meus trabalhos.Obrigado!
Avatar do visitante

Nelson de Medeiros Teixeira · 03/02/2016, às 09h55

Como faço para recuperar minha senha e login?
Avatar do visitante

A Voz da Poesia · 05/02/2016, às 02h18

Nelson, percebemos que após seu comentário você logrou acesso à área administrativa dos poetas e postou uma poesia. Porém, foi muito bom ter levantado essa questão. Em caso de perda de login ou senha ainda é necessário solicitá-los novamente via nosso e-mail de contato. Mas agora iremos providenciar a funcionalidade de recuperação de login e redefinição automática de senhas, e quando isso estiver pronto avisaremos a todos os inscritos, como de costume. Estamos trabalhando paralelamente numa nova versão bastante aprimorada do site, o que demanda muito do nosso tempo.
Avatar do visitante

Luciano Spagnol · 04/04/2017, às 17h51

CERRADO SECO (soneto) Ah! plangente cerrado, quente, sequioso Ventos abafados, denodados, e ao vento Dormente melancolia, e tão portentoso Murmurejante e, navegante de lamento Sol queimoso, unguinoso, tal moroso Que no seu firmamento vagar é lento Inventando no tempo variegado iroso Parindo nuvens dum cinzento natento Securas secas, e que secam ardoroso Veludos galhos, veludosos e poeirento Que racham sedentos num ardor ditoso Ah! cerrado seco, de ávido encantamento De um luar num esplendor esplendoroso Da lua de contornos, no céu monumento Luciano Spagnol Poeta do cerrado Março de 2017 Cerrado goiano

Postar um novo comentário

CADASTRAR-SE NO QUADRO DE AVISOS | POR ONDE A VOZ ECOA | ÁREA ADMINISTRATIVA DOS POETAS | ENVIAR AVISO (SOMENTE ADMINISTRADORES)
FacebookOrkutTwitterGPlusYoutubeMyspaceDhittPaltalkRSS
 
Copyright 2001 - 2014 - A Voz da Poesia Falando ao Coração - Design GamaBrasil