OS PODERES INFERNAIS

O meu amor faísca na medula,
pois que na superfície ele anoitece.
Abre na escuridão sua quermesse.
É todo fome, (...)

Obra resguardada por direito autoral. Para conferir o restante deste texto, consulte a referência bibliográfica indicada abaixo.

© que o tece.
O meu amor, paralisado, pula.

Pulula, ulula. Salve, lobo triste!
Quando eu secar, ele estará vivendo,
já não vive de mim, nele Ã

Número de visualizações em 2017: 1346
Número de curtidas: 98
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários (1)

Avatar do visitante

jose dos Reis · 07/02/2018, às 15h40

Este Snr. Carlos Drummond nunca foi `gauche` na vida, nem tampouco um Claro Enigma; bom demais.

Postar um novo comentário