INÍCIO | POESIAS | POETAS | MÚSICOS | RÁDIO | VÍDEOS | LIVROS | RECENTES | CARTÕES | E-BOOKS | MURAL | FÓRUM | BLOGS | AGENDA | INSCRIÇÃO | CONTATO
 
 
VOLTAR
 
NOTÍCIAS SOBRE O POETA
 
RÁDIO DO POETA
 
:: POESIAS ::
 
CANÇÃO I
CANÇÃO II
CANÇÃO III
CANÇÃO IV
CANÇÃO V
CANÇÃO VI
CANÇÃO VII
CANÇÃO VIII
CANÇÃO IX
CANÇÃO X
 
:: SONETOS ::
 
SONETO I [ENQUANTO QUIS FORTUNA QUE TIVESSE]
SONETO II [EU CANTAREI DE AMOR TÃO DOCEMENTE]
SONETO III [COM GRANDES ESPERANÇAS JÁ CANTEI]
SONETO IV [DEPOIS QUE QUIS AMOR QUE EU SÓ]
SONETO V [EM PRISÕES BAIXAS FUI UM TEMPO ATADO]
SONETO VI [ILUSTRE E DIGNO RAMO DOS MENEZES]
SONETO VII [NO TEMPO QUE DE AMOR VIVER SOÍA]
SONETO VIII [AMOR, QUE O GESTO HUMANO NA ALMA ESCREVE]
SONETO IX [TANTO DE MEU ESTADO ME ACHO INCERTO]
SONETO X [TRANSFORMA-SE O AMADOR NA COISA AMADA]
SONETO XI [PASSO POR MEUS TRABALHOS TÃO ISENTO]
SONETO XII [EM FLOR VOS ARRANCOU, DE ENTÃO CRESCIDA]
SONETO XIII [NUM JARDIM ADORNADO DE VERDURA]
SONETO XIV [TODO O ANIMAL DA CALMA REPOUSAVA]
SONETO XV [BUSQUE AMOR NOVAS ARTES, NOVO ENGENHO]
SONETO XVI [QUEM VÊ SENHORA, CLARO E MANIFESTO]
SONETO XVII [QUANDO DA BELA VISTA E DOCE RISO]
SONETO XVIII [DOCES LEMBRANÇAS DA PASSADA GLÓRIA]
SONETO XIX [ALMA MINHA GENTIL, QUE TE PARTISTE]
SONETO XX [NUM BOSQUE QUE DAS NINFAS SE HABITAVA]
SONETO XXI [OS REINOS E OS IMPÉRIOS PODEROSOS]
SONETO XXII [DE VOS ME PARTO, Ó VIDA, EM TAL MUDANÇA]
SONETO XXIII [CARA MINHA INIMIGA, EM CUJA MÃO]
SONETO XXIV [AQUELA TRISTE E LEDA MADRUGADA]
SONETO XXV [SE QUANDO VOS PERDI, MINHA ESPERANÇA]
SONETO XXVI [EM FORMOSA LETÉIA SE CONFIA]
SONETO XXVII [MALES QUE CONTRA MIM VOS CON JURASTES]
SONETO XXVIII [ESTÁ-SE A PRIMAVERA TRASLADANDO]
SONETO XXIX [SETE ANOS DE PASTOR JACOB SERVIA]
SONETO XXX [ESTÁ O LASCIVO E DOCE PASSARINHO]
SONETO XXXI [PEDE O DESEJO, DAMA, QUE VOS VEJA]
SONETO XXXII [PORQUE QUEREIS, SENHORA, QUE OFEREÇA]
SONETO XXXIII [SE TANTA PENA TENHO MERECIDA]
SONETO XXXIV [QUANDO O SOL ENCOBERTO VAI MOSTRANDO]
SONETO XXXV [UM MOVER DE OLHOS BRANDO E PIEDOSO]
SONETO XXXVI [TOMOU-ME VOSSA VISTA SOBERANA]
SONETO XXXVII [NÃO PASSES, CAMINHANTE. QUEM ME CHAMA]
SONETO XXXVIII [FORMOSOS OLHOS QUE NA IDADE NOSSA]
SONETO XXXIX [O FOGO QUE NA BRANDA CERA ARDIA]
SONETO XL [ALEGRES CAMPOS VERDES ARVOREDOS]
SONETO XLI [QUANTAS VEZES DO FUSO SE ESQUECIA]
SONETO XLII [LINDO E SUTIL TRANÇADO, QUE FICASTE]
SONETO XLIII [O CISNE QUANDO SENTE SER CHEGADA]
SONETO XLIV [POR OS RAROS EXTREMOS QUE MOSTROU]
SONETO XLV [TOMAVA DALIANA POR VINGANÇA]
SONETO XLVI [GRÃO TEMPO HÁ JÁ QUE SOUBE DA VENTURA]
SONETO XLVII [SE SOMENTE HORA ALGUMA EM VÓS PIEDADE]
SONETO XLVIII [OH COMO SE ME ALONGA DE ANO EM ANO]
SONETO XLIX [JÁ É TEMPO, JÁ, QUE MINHA CONFIANÇA]
SONETO L [AMOR, COM A ESPERANÇA JÁ PERDIDA]
SONETO LI [APOLO E AS NOVE MUSAS, DESCANTANDO]
SONETO LII [LEMBRANÇAS SAUDOSAS, SE CUIDAIS]
SONETO LIII [APARTAVA-SE NISE DE MONTANO]
SONETO LIV [QUANDO VEJO QUE MEU DESTINO ORDENA]
SONETO LV [DEPOIS DE TANTOS DIAS MAL GASTADOS]
SONETO LVI [NAIADES, VOS QUE OS RIOS HABITAIS]
SONETO LVII [MUDAM-SE OS TEMPOS, MUDAM-SE AS VONTADES]
SONETO LVIII [SE AS PENAS COM QUE AMOR TÃO MAL ME TRATA]
SONETO LIX [QUEM JAZ NO GRÃO SEPULCRO, QUE DESCREVE]
SONETO LX [QUEM PODE LIVRE SER, GENTIL SENHORA]
SONETO LXI [COMO FIZESTE, Ó PÓRCIA, TAL FERIDA]
SONETO LXII [DE TÃO DIVINO ACENTO E VOZ HUMANA]
SONETO LXIII [DEBAIXO DESTA PEDRA ESTÁ METIDO]
SONETO LXIV [QUE VENÇAIS NO ORIENTE TANTOS REIS]
SONETO LXV [VOSSOS OLHOS, SENHORA, QUE COMPETEM]
SONETO LXVI [FORMOSURA DO CÉU A NÓS DESCIDA]
SONETO LXVII [POIS MEUS OLHOS NÃO CANSAM DE CHORAR]
SONETO LXVIII [DAI-ME UMA LEI, SENHORA, DE QUERER-VOS]
SONETO LXIX [FERIDO SEM TER CURA PERECIA]
SONETO LXX [NA METADE DO CÉU SUBIDO ARDIA]
SONETO LXXI [JÁ A SAUDOSA AURORA DESTOUCAVA]
SONETO LXXII [QUANDO DE MINHAS MÁGOAS A COMPRIDA]
SONETO LXXIII [SUSPIROS INFLAMADOS QUE CANTAIS]
SONETO LXXIV [AQUELA FERA HUMANA QUE ENRIQUECE]
SONETO LXXV [DITOSO SEJA AQUELE QUE SOMENTE]
SONETO LXXVI [QUEM FOSSE ACOMPANHANDO JUNTAMENTE]
SONETO LXXVII [O CULTO DIVINAL SE CELEBRAVA]
SONETO LXXVIII [LEDA SERENIDADE DELEITOSA]
SONETO LXXIX [BEM SEI, AMOR, QUE É CERTO O QUE RECEIO]
SONETO LXXX [COMO QUANDO DO MAR TEMPESTUOSO]
SONETO LXXXI [AMOR É UM FOGO QUE ARDE SEM SE VER]
SONETO LXXXII [SE PENA POR AMAR-VOS SE MERECE]
SONETO LXXXIII [QUE LEVAS, CRUEL MORTE? UM CLARO DIA]
SONETO LXXXIV [ONDADOS FIOS DE OURO RELUZENTE]
SONETO LXXXV [FOI JÁ NUM TEMPO DOCE COISA AMAR]
SONETO LXXXVI [DOS ANTIGOS ILUSTRES QUE DEIXARAM]
SONETO LXXXVII [CONVERSAÇÃO DOMÉSTICA AFEIÇOA]
SONETO LXXXVIII [ESFORÇO GRANDE, IGUAL AO PENSAMENTO]
SONETO LXXXIX [NO MUNDO QUIS O TEMPO QUE SE ACHASSE]
SONETO XC [A PERFEIÇÃO, A GRAÇA, O DOCE JEITO]
SONETO XCI [VÓS, QUE DE OLHOS SUAVES E SERENOS]
SONETO XCII [QUE PODEREI DO MUNDO JÁ QUERER]
SONETO XCIII [PENSAMENTOS, QUE AGORA NOVAMENTE]
SONETO XCIV [SE TOMO A MINHA PENA EM PENITÊNCIA]
SONETO XCV [AQUELA QUE DE PURA CASTIDADE]
SONETO XCVI [OS VESTIDOS ELISA REVOLVIA]
SONETO XCVII [OH QUÃO CARO ME CUSTA O ENTENDER-TE]
SONETO XCVIII [SE DEPOIS DE ESPERANÇA TÃO PERDIDA]
SONETO XCIX [O RAIO CRISTALINO SE ESTENDIA]
SONETO C [NO MUNDO POUCOS ANOS E CANSADOS]
SONETO CI [VÓS QUE ESCUTAIS EM RIMAS DERRAMADO]
SONETO CII [DE AMOR ESCREVO, DE AMOR TRATO E VIVO]
SONETO CIII [SE DA CÉLEBRE LAURA A FORMOSURA]
SONETO CIV [ESSES CABELOS LOUROS E ESCOLHIDOS]
SONETO CV [QUEM PUDERA JULGAR DE VÓS, SENHORA]
SONETO CVI [QUEM, SENHORA, PRESUME DE LOUVAR-VOS]
SONETO CVII [MORADORAS GENTIS E DELICADAS]
SONETO CVIII [BRANDAS ÁGUAS DO TEJO QUE PASSANDO]
SONETO CIX [NOVOS CASOS DE AMOR NOVOS ENGANOS]
SONETO CX [ONDE POREI MEUS OLHOS QUE NÃO VEJA]
SONETO CXX [TORNAI ESSA BRANCURA À ALVA AÇUCENA]
SONETO CXXI [DE MIL SUSPEITAS VÃS SE ME LEVANTAM]
SONETO CXXII [MIL VEZES DETERMINO NÃO VOS VER]
SONETO CXXIII [A CHAGA QUE, SENHORA, ME FIZESTES]
SONETO CXXIV [SE COM DESPREZOS, NINFA, TE PARECE]
SONETO CXXVI [NO REGAÇO DA MÃE AMOR ESTAVA]
SONETO CXXV [SENHORA MINHA SE EU DE VÓS AUSENTE]
SONETO CXXVII [ESTE TERRESTRE CAOS COM SEUS VAPORES]
SONETO CXXVIII [UMA ADMIRÁVEL ERVA SE CONHECE]
SONETO CXXIX [CRESCEI, DESEJO MEU, POIS QUE A VENTURA]
SONETO CXXX [É O GOZADO BEM EM ÁGUA ESCRITO]
SONETO CXXXI [DE QUANTAS GRAÇAS TINHA A NATUREZA]
SONETO CXXXII [NUNCA EM AMOR DANOU O ATREVIMENTO]
SONETO CXXXIII [DOCES ÁGUAS E CLARAS DO MONDEGO]
SONETO CXXXIV [SENHOR JOÃO LOPES, O MEU BAIXO ESTADO]
SONETO CXXXV [A MORTE QUE DA VIDA O NÓ DESATA]
SONETO CXXXVI [ÁRVORE CUJO POMO BELO E BRANDO]
SONETO CXXXVII [O FILHO DE LATONA ESCLARECIDO]
SONETO CXXXVIII [PRESENÇA BELA, ANGÉLICA FIGURA]
SONETO CXXXIX [POR CIMA DESTAS ÁGUAS FORTE E FIRME]
SONETO CC [PORQUE A TAMANHAS PENAS SE OFERECE]
SONETO CCC [OLHOS FORMOSOS, EM QUEM QUIS NATURA]
SONETO CCCI [QUEM PRESUMIR SENHORA DE LOUVAR-VOS]
SONETO CCCII [LOS QUE BIVIS SUBJECTOS A LA ESTRELLA]
SONETO CCCIII [TODAS AS ALMAS TRISTES SE MOSTRAVAM]
SONETO CCCIV [SENHORA MINHA SE DE PURA INVEJA]
SONETO CCCIX [EM UM BATEL QUE COM DOCE MENEIO]
SONETO CCCL [TU QUE DESCANSO BUSCAS COM CUIDADO]
SONETO CCCLI [Ó GLORIOSA CRUZ Ó VITORIOSO]
SONETO CCCLII [MIL VEZES SE MOVE MEU PENSAMENTO]
SONETO CCCV [CONTAS QUE TRAZ AMOR COM MEUS CUIDADOS]
SONETO CCCVI [FORMOSA MÃO QUE O CORAÇÃO ME APERTA]
SONETO CCCVII [DE TANTAS PERFEIÇÕES A NATUREZA]
SONETO CCCVIII [DE AMORES DE UMA INCLITA DONZELA]
SONETO CCCX [QUE FIZ AMOR QUE TÃO MAL ME TRATAS]
SONETO CCCXI [SE AO QUE TE QUERO DESSES TANTA FÉ]
SONETO CCCXII [O TEMPO ESTÁ VINGADO À CUSTA MINHA]
SONETO CCCXIII [QUEM BUSCA NO AMOR CONTENTAMENTO]
SONETO CCCXIV [SE A NINGUÉM TRATAIS COM DESAMOR]
SONETO CCCXIX [SAUDADES ME ATORMENTAM CRUELMENTE]
SONETO CCCXL [TRANSUNTO SOU SENHORA NESTE ENGANO]
SONETO CCCXLI [ONDAS QUE POR EL MUNDO CAMINANDO]
SONETO CCCXLII [SOBRE UM OLMO QUE AL CIELO PARECIA]
SONETO CCCXLIII [CANÇADA Y RONCA BOZ POR QUE BOLANDO]
SONETO CCCXLIV [A TI SENHOR A QUEM AS SACRAS MUSAS]
SONETO CCCXLIV [O CAPITÃO ROMANO ESCLARECIDO]
SONETO CCCXLV [À ROMANA POPULAÇA PERGUNTAVA]
SONETO CCCXLVI [COM O GENEROSO ROSTRO ALANCEADO]
SONETO CCCXLVII [QUANDO DO RARO ESFORÇO QUE MOSTRAVAS]
SONETO CCCXLVIII [QUÃO CEDO TE ROUBOU A MORTE DURA]
SONETO CCCXV [GOSTOS FALSOS DE AMOR GOSTOS FINGIDOS]
SONETO CCCXVI [COM O TEMPO O PRADO SECO REVERDECE]
SONETO CCCXVII [AQUELES CLAROS OLHOS QUE CHORANDO]
SONETO CCCXVIII [AUSENTE DESSA VISTA PURA E BELA]
SONETO CCCXX [O DIA HORA OU O ÚLTIMO MOMENTO]
SONETO CCCXXI [SE PARA MIM TIVERA QUE ALGUM DIA]
SONETO CCCXXII [Ó FORTUNA CRUEL Ó DURA SORTE]
SONETO CCCXXIII [PERDER-ME ASSIM EM VOSSO ESQUECIMENTO]
SONETO CCCXXIV [SE ALGUMA HORA EM VÓS A PIEDADE]
SONETO CCCXXIX [VENTANA VENTUROSA DO AMAÑECE]
SONETO CCCXXV [JÁ TEMPO FOI QUE MEUS OLHOS FAZIAM]
SONETO CCCXXVI [QUÃO BEM-AVENTURADO ME ACHARA]
SONETO CCCXXVII [SI EL TRISTE CORAZON QUE SIEMPRE LLORA]
SONETO CCCXXVIII [DO ESTÁN LOS CLAROS OJOS QUE COLGADA]
SONETO CCCXXX [DE PIEDRA DE METAL DE COSA DURA]
SONETO CCCXXXI [AL PIE DE UNA VERDE Y ALTA ENZINA]
SONETO CCCXXXII [AMOR AMOR QUE FIERES AL COITADO]
SONETO CCCXXXIII [FORMOSO TEJO MEU QUÃO DIFERENTE]
SONETO CCCXXXIV [MEMÓRIAS OFENDIDAS QUE UM SÓ DIA]
SONETO CCCXXXIX [O DIA EM QUE EU NASCI MOURA E PEREÇA]
SONETO CCCXXXV [LEMBRANÇAS TRISTES PARA QUE GASTAIS TEMPO]
SONETO CCCXXXVI [QUANDO DESCANSAREIS OLHOS CANSADOS]
SONETO CCCXXXVII [MEMÓRIA DE MEU BEM CORTADO EM FLORES]
SONETO CCCXXXVIII [DO CORPO ESTAVA JÁ QUASE FORÇADA]
SONETO CCI [DEPOIS DE HAVER CHORADO OS MEUS TORMENTOS]
SONETO CCII [ONDE MERECI EU TAL PENSAMENTO]
SONETO CCIII [DE FRESCAS BELVEDERES RODEADAS]
SONETO CCIV [NOS BRAÇOS DE UM SILVANO ADORMECENDO]
SONETO CCIX [AMOR QUE EM SONHOS VÃOS DO PENSAMENTO]
SONETO CCL [NAS CIDADES NOS BOSQUES NAS FLORESTAS]
SONETO CCLI [VI QUEIXOSOS DE AMOR MIL NAMORADOS]
SONETO CCLII [SE LÁGRIMAS CHORADAS DE VERDADE]
SONETO CCLIII [JÁ ME FUNDEI EM VÃOS CONTENTAMENTOS]
SONETO CCLIV [EM UMA LAPA TODA TENEBROSA]
SONETO CCLIX [FORMOSOS OLHOS QUE CUIDADO DAIS]
SONETO CCLV [SE EM MIM, Ó ALMA, VIVE MAIS LEMBRANÇA]
SONETO CCLVI [ILUSTRE GRACIA NOMBRE DE UNA MOZA]
SONETO CCLVII [QUAL TEM A BORBOLETA POR COSTUME]
SONETO CCLVIII [LEMBRANÇAS DE MEU BEM DOCES LEMBRANÇAS]
SONETO CCLX [PUES SIEMPRE SIN CESAR, MIS OJOS TRISTES]
SONETO CCLXI [TÊM FEITO OS OLHOS NESTE APARTAMENTO]
SONETO CCLXII [A PEREGRINAÇÃO DE UM PENSAMENTO]
SONETO CCLXIII [ACHO-ME DA FORTUNA SALTEADO]
SONETO CCLXIV [SE NO QUE TENHO DITO VOS OFENDO]
SONETO CCLXIX [ESTE AMOR QUE VOS TENHO LIMPO E PURO]
SONETO CCLXV [DOCE CONTENTAMENTO JÁ PASSADO]
SONETO CCLXVI [SEMPRE, CRUEL SENHORA, RECEEI]
SONETO CCLXVII [FORTUNA EM MIM GUARDANDO SEU DIREITO]
SONETO CCLXVIII [SE A FORTUNA INQUIETA E MAL OLHADA]
SONETO CCLXX [SE GRANDE GLÓRIA ME VEM SÓ DE OLHAR-TE]
SONETO CCLXXI [A FORMOSURA DESTA FRESCA SERRA]
SONETO CCLXXII [SOSPECHAS QUE EN MI TRISTE FANTASIA]
SONETO CCLXXIII [SUSTENTA MEU VIVER UA ESPERANÇA]
SONETO CCLXXIV [JÁ NÃO SINTO, SENHORA, OS DESENGANOU]
SONETO CCLXXIX [INDO O TRISTE PASTOR TODO EMBEBIDO]
SONETO CCLXXV [QUE PODE JÁ FAZER MINHA VENTURA]
SONETO CCLXXVI [QUANDO CUIDO NO TEMPO QUE, CONTENTE]
SONETO CCLXXVII [QUANDO, SENHORA, QUIS AMOR QUE AMASSE]
SONETO CCLXXVIII [EU VIVIA DE LÁGRIMAS ISENTO]
SONETO CCLXXX [DE UM TÃO FELICE ENGENHO, PRODUZIDO]
SONETO CCLXXXI [DIZEI SENHORA DA BELEZA IDEIA]
SONETO CCLXXXII [NA RIBEIRA DO EUFRATES ASSENTADO]
SONETO CCLXXXIII [EL VASO RELUCIENTE Y CRISTALINO]
SONETO CCLXXXIV [CHORAI, NINFAS, OS FADOS PODEROSOS]
SONETO CCLXXXIX [DIANA PRATEADA ESCLARECIA]
SONETO CCLXXXV [SENHORA JÁ DESTA ALMA, PERDOAI]
SONETO CCLXXXVI [QUEM VOS LEVOU DE MIM, SAUDOSO ESTADO]
SONETO CCLXXXVII [DIVERSOS CASOS VÁRIOS PENSAMENTOS]
SONETO CCLXXXVIII [DOCE SONHO SUAVE E SOBERANO]
SONETO CCV [QUEM DIZ QUE AMOR É FALSO OU ENGANOSO]
SONETO CCVI [FORMOSA BEATRIZ TENDES TAIS JEITOS]
SONETO CCVII [ALEGRES CAMPOS, VERDES DELEITOSOS]
SONETO CCVIII [ONDADOS FIOS DE OURO ONDE ENLAÇADO]
SONETO CCX [NEM O TREMENDO ESTRÉPITO DA GUERRA]
SONETO CCXC [A LÁ EN MONTE REY, EN BAL DE LAÇA]
SONETO CCXCI [PORQUE ME FAZ AMOR INDA ACÁ TORTO]
SONETO CCXCII [ENQUANTO FEBO OS MONTES ACENDIA]
SONETO CCXCIII [SE DE VOSSO FORMOSO E LINDO GESTO]
SONETO CCXCIV [NUM TÃO ALTO LUGAR, DE TANTO PREÇO]
SONETO CCXCIX [PUES LÁGRIMAS TRATÁIS, MIS OJOS TRISTES]
SONETO CCXCV [QUANTAS PENAS AMOR QUANTOS CUIDADOS]
SONETO CCXCVI [O TEMPO ACABA, O ANO, O MÊS E A HORA]
SONETO CCXCVII [POSTO ME TEM FORTUNA EM TAL ESTADO]
SONETO CCXCVIII [JÁ NÃO FERE O AMOR COM ARCO FORTE]
SONETO CCXI [FIOU-SE O CORAÇÃO, DE MUITO ISENTO]
SONETO CCXII [QUEM QUISER VER D’AMOR UMA EXCELÊNCIA]
SONETO CCXIII [LOS OJOS QUE CON BLANDO MOVIMIENTO]
SONETO CCXIV [NO BASTAVA QUE AMOR PURO Y ARDIENTE]
SONETO CCXIX [SE EL FUEGO, QUE ME ENCIENDE, CONSUMIDO]
SONETO CCXL [APONTA A BELA AURORA LUZ PRIMEIRA]
SONETO CCXLI [POR QUE A TERRA NO CÉU AGASALHASSE]
SONETO CCXLII [QUE ESTILA A ÁRVORE SACRA? UM LICOR SANTO]
SONETO CCXLIII [Ó ARMA UNICAMENTE SÓ TRIUNFANTE]
SONETO CCXLIV [AOS HOMENS UM SÓ HOMEM PÔS ESPANTO]
SONETO CCXLIX [DEIXA APOLO O CORRER TÃO APRESSADO]
SONETO CCXLV [VÓS SÓ PODEIS SAGRADO EVANGELISTA]
SONETO CCXLVI [COMO LOUVAREI EU SERAFIM SANTO]
SONETO CCXLVII [DITOSAS ALMAS, QUE AMBAS JUNTAMENTE]
SONETO CCXLVIII [CONTENTE VIVI JÁ, VENDO-ME ISENTO]
SONETO CCXV [AYUDAME SEÑORA A HACER VENGANZA]
SONETO CCXVI [Ó CLARAS ÁGUAS DESTE BLANDO RIO]
SONETO CCXVII [MIL VECES ENTRE SUEÑOS TU FIGURA]
SONETO CCXVIII [MI GUSTO Y TU BELDAD SE DESPOSARON]
SONETO CCXX [QUE ME QUEREIS, PERPÉTUAS SAUDADES]
SONETO CCXXI [Ó RIGOROSA AUSÊNCIA DESEJADA]
SONETO CCXXII [AY QUIEN DARÁ A MIS OJOS UNA FUENTE]
SONETO CCXXIII [CON RAZON OS VAYS AGUAS FATIGANDO]
SONETO CCXXIV [O CESSE YA SEÑOR TU DURA MANO]
SONETO CCXXIX [ALMA GENTIL, QUE À FIRME ETERNIDADE]
SONETO CCXXV [DULCES ENGAÑOS DE MIS OJOS TRISTES]
SONETO CCXXVI [CUANTO TIEMPO HA QUE LLORO UN DIA TRISTE]
SONETO CCXXVII [LEVANTAI MINHAS TÁGIDES A FRENTE]
SONETO CCXXVIII [VÓS NINFAS DA GANGÉTICA ESPESSURA]
SONETO CCXXX [DEBAIXO DESTA PEDRA SEPULTADA]
SONETO CCXXXI [IMAGENS VÃS ME IMPRIME A FANTASIA]
SONETO CCXXXII [QUANTA INCERTA ESPERANÇA, QUANTO ENGANO]
SONETO CCXXXIII [MAL QUE DE TEMPO EM TEMPO VÁS CRESCENDO]
SONETO CCXXXIV [OH QUANTO MELHOR É O SUPREMO DIA]
SONETO CCXXXIX [EM BABILÓNIA SOBRE OS RIOS QUANDO]
SONETO CCXXXV [COMO PODES Ó CEGO PECADOR]
SONETO CCXXXVI [VERDADE, AMOR, RAZÃO, MERECIMENTO]
SONETO CCXXXVII [DE BABEL SOBRE OS RIOS NOS SENTAMOS]
SONETO CCXXXVIII [SOBRE OS RIOS DO REINO ESCURO QUANDO]
SONETO CL [COITADO QUE EM UM TEMPO CHORO E RIO]
SONETO CLI [JULGA-ME A GENTE TODA POR PERDIDO]
SONETO CLII [OLHOS AONDE O CÉU COM LUZ MAIS PURA]
SONETO CLIII [CRIOU A NATUREZA DAMAS BELAS]
SONETO CLIV [QUE ESPERAIS ESPERANÇA? DESESPERO]
SONETO CLIX [VENCIDO ESTÁ DE AMOR MEU PENSAMENTO]
SONETO CLV [SE COMO EM TUDO O MAIS FOSTES PERFEITA]
SONETO CLVI [SE ALGUMA HORA ESSA VISTA MAIS SUAVE]
SONETO CLVII [TANTO SE FORAM NINFA COSTUMANDO]
SONETO CLVIII [EU ME APARTO DE VÓS NINFAS DO TEJO]
SONETO CLX [DIVINA COMPANHIA QUE NOS PRADOS]
SONETO CLXI [Á LA MARGEN DEL TAJO EN CLARO DIA]
SONETO CLXII [CANTANDO ESTAVA UM DIA BEM SEGURO]
SONETO CLXII [POR GLORIA TUVE UN TIEMPO EL SER PERDIDO]
SONETO CLXIII [REBUELVO EN LA INCESSABLE FANTASIA]
SONETO CLXIV [LAS PEÑAS RETUMBAVAN AL GEMIDO]
SONETO CLXIX [CAMPO NAS SIRTES DESTE MAR DA VIDA]
SONETO CLXV [EN UNA SELVA AL DESPUNTAR DEL DIA]
SONETO CLXVI [ORFEU ENAMORADO QUE TAÑÍA]
SONETO CLXVII [EU CANTEI JÁ E AGORA VOU CHORANDO]
SONETO CLXVIII [AI AMIGA CRUEL! QUE APARTAMENTO]
SONETO CLXX [AH MINHA DINAMENE! ASSIM DEIXASTE]
SONETO CLXXI [GUARDANDO EM MIM A SORTE SEU DIREITO]
SONETO CLXXIII [O CÉU A TERRA O VENTO SOSSEGADO]
SONETO CLXXIV [AH FORTUNA CRUEL! AH DUROS FADOS]
SONETO CLXXIX [OS MEUS ALEGRES VENTUROSOS DIAS]
SONETO CLXXV [QUANTO TEMPO OLHOS MEUS COM TAL LAMENTO]
SONETO CLXXVI [LEMBRANÇAS QUE LEMBRAIS MEU BEM PASSADO]
SONETO CLXXVII [QUANDO OS OLHOS EMPREGO NO PASSADO]
SONETO CLXXVIII [JÁ CANTEI JÁ CHOREI A DURA GUERRA]
SONETO CLXXX [HORAS BREVES DE MEU CONTENTAMENTO]
SONETO CLXXXI [ONDE ACHAREI LUGAR TÃO APARTADO]
SONETO CLXXXII [AQUI DE LONGOS DANOS BREVE HISTÓRIA]
SONETO CLXXXIII [POR SUA NINFA CÉFALO DEIXAVA]
SONETO CLXXXIV [SENTINDO-SE ALCANÇADA A BELA ESPOSA]
SONETO CLXXXIX [ORNOU SUBLIME ESFORÇO AO GRANDE ATLANTE]
SONETO CLXXXV [SEGUIA AQUELE FOGO QUE O GUIAVA]
SONETO CLXXXVI [OS OLHOS ONDE O CASTO AMOR ARDIA]
SONETO CLXXXVII [DITOSA PENA COMO A MÃO QUE A GUIA]
SONETO CLXXXVIII [ESPANTA CRESCER TANTO O CROCODILO]
SONETO CXC [DEPOIS QUE VIU CIBELE O CORPO HUMANO]
SONETO CXCI [POIS TORNA POR SEU REI E JUNTAMENTE]
SONETO CXCII [AGORA TOMA A ESPADA AGORA A PENA]
SONETO CXCIII [ERROS MEUS, MA FORTUNA, AMOR ARDENTE]
SONETO CXCIV [CÁ NESTA BABILÔNIA ONDE MANA]
SONETO CXCIX [DOS CÉUS À TERRA DESCE A MOR BELEZA]
SONETO CXCV [CORREM TURVAS AS ÁGUAS DESTE RIO]
SONETO CXCVI [VÓS OUTROS QUE BUSCAIS REPOUSO CERTO]
SONETO CXCVII [PARA SE NAMORAR DO QUE CRIOU]
SONETO CXCVIII [DESCE DO CÉU IMENSO, DEUS BENIGNO]
SONETO CXI [JÁ DO MONDEGO AS ÁGUAS APARECEM]
SONETO CXII [QUE DOIDO PENSAMENTO É O QUE SIGO]
SONETO CXIII [UM FIRME CORAÇÃO POSTO EM VENTURA]
SONETO CXIV [AR QUE DE MEUS SUSPIROS VEJO CHEIO]
SONETO CXIX [A VIOLETA MAIS BELA QUE AMANHECE]
SONETO CXL [TAL MOSTRA DÁ DE SI VOSSA FIGURA]
SONETO CXLI [NA DESESPERAÇÃO JÁ REPOUSAVA]
SONETO CXLII [DIVERSOS DONS REPARTE O CÉU BENIGNO]
SONETO CXLIII [GENTIL SENHORA SE A FORTUNA INIMIGA]
SONETO CXLIV [QUE MODO TÃO SUTIL DA NATUREZA]
SONETO CXLIX [SEMPRE A RAZÃO VENCIDA FOI DE AMOR]
SONETO CXLV [QUANDO SE VIR COM ÁGUA O FOGO ARDER]
SONETO CXLVI [QUANDO A SUPREMA DOR MUITO ME APERTA]
SONETO CXLVII [NA MARGEM DE UM RIBEIRO QUE FENDIA]
SONETO CXLVIII [SE ME VEM TANTA GLÓRIA SÓ DE OLHAR-TE]
SONETO CXV [JÁ CLARO VEJO BEM JÁ BEM CONHEÇO]
SONETO CXVI [DE CÁ DONDE SOMENTE O IMAGINAR-VOS]
SONETO CXVII [NÃO HÁ LOUVOR QUE ARRIBE À MENOR PARTE]
SONETO CXVIII [NÃO VÁS AO MONTE, NISE, COM TEU GADO]
SONETO XCV [AQUELA QUE DE PURA CASTIDADE]

XCV

Aquela que, de pura castidade,
De si mesma tomou cruel vingança
Por uma breve e súbita mudança,
Contrária a sua honra e qualidade

Venceu à formosura a honestidade,
Venceu no fim da vida a esperança
Porque ficasse viva tal lembrança,
Tal amor, tanta fé, tanta verdade.

De si, da gente e do mundo esquecida,
Feriu com duro ferro o brando peito,
Banhando em sangue a força do tirano.

Oh! Estranha ousadia! Estranho feito!
Que, dando breve morte ao corpo humano,
Tenha sua memória larga vida!

© LUIZ VAZ DE CAMÕES
In Obras de Luíz de Camões (Vol. II), 1861
Pelo Visconde de Juromenha

NOTA:
1. ortografia atualizada

Número de visualizações em 2017: 557
Número de curtidas: 39
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários (17)

Quem é "Aquela"? Dá para perceber que o poeta se refere a personagem conhecida. O soneto necessita de uma orientação prévia ao leitor. Não basta pura e simplesmente reproduzi-lo.
Vai comer pilinha Rogie!
na vagina ratabye
oh sim
violador ahhh foge Rogerio
violador ahhh foge Rogerio
violador ahhh foge Rogerio
violador ahhh foge Rogerio
rogerio ele foi se embora uff
rogerio ele foi se embora uff
rogerio ele foi se embora uff
rogerio ele foi se embora uff
rogerio ele foi se embora uff
AM BACK BITCHES Prepare your anus
FUUUUUUUCKKKKKKKKKK MY ANUS
FUUUUUUUCKKKKKKKKKK MY ANUS
FUUUUUUUCKKKKKKKKKK MY ANUS

Postar um novo comentário

CADASTRAR-SE NO QUADRO DE AVISOS | POR ONDE A VOZ ECOA | ÁREA ADMINISTRATIVA DOS POETAS | ENVIAR AVISO (SOMENTE ADMINISTRADORES)
FacebookOrkutTwitterGPlusYoutubeMyspaceDhittPaltalkRSS
 
Copyright 2001 - 2013 - A Voz da Poesia Falando ao Coração - Design GamaBrasil