SONETOS: VIII

VIII

Este é o rio, a montanha é esta,
Estes os troncos, estes os rochedos;
São estes inda os mesmos arvoredos;
Esta é a mesma rústica floresta.

Tudo cheio de horror se manifesta,
Rio, montanha, troncos, e penedos;
Que de amor nos suavíssimos enredos
Foi cena alegre, e urna é já funesta.

Oh quão lembrado estou de haver subido
Aquele monte, e as vezes, que baixando
Deixei do pranto o vale umedecido!

Tudo me está a memória retratando;
Que da mesma saudade o infame ruído
Vem as mortas espécies despertando.

© CLÁUDIO MANOEL DA COSTA
In Obras Poéticas (Tomo I), 1903
SONETOS

Número de visualizações em 2017: 4943
Número de curtidas: 173
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários (1)

o mundo dos poetas é belo, é um sonho que nem todos podem viver.

Postar um novo comentário