CANÇÃO PARA UM HOMEM E UM RIO

Porque era um homem sincero
eu o levei ao rio entre junquilhos.
Mas sincero não era
era só homem
e deixei nos junquilhos a esperança
de dar à minha espera serventia.

Porque era um homem forte
eu o levei ao rio entre junquilhos.
Mas forte ele não era
era só homem
e entre pedras deixei o meu desejo
de abandonar o arado, a forja, e a lança.

Porque podia me amar
eu o levei ao rio entre junquilhos.
Mas amante não era
era só homem
e na água afoguei a minha sede
de palavras mais doces que ambrosia.

Porque era um homem
só homem
eu o levei ao rio entre junquilhos.

© MARINA COLASANTI
In: Rota de colisão, 1993
Rio de Janeiro: Editora Rocco.

Número de visualizações em 2017: 255
Número de curtidas: 35
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários (1)

Poema maravilhoso e verdadeiro sobre o relacionamento entre casais! 

Postar um novo comentário