CHAMADO DA POESIA

Ouço a poesia que me chama.
São vozes que passam numa estrada
Agitando lembranças
Que não moravam na lembrança.

Ouço a poesia que me acena.
E vejo alguém, um vulto ao longe,
Dançando. Quem dançará para o (...)

Obra resguardada por direito autoral. Para conferir o restante deste texto, consulte a referência bibliográfica indicada abaixo.

© AUGUSTO FREDERICO SCHMIDT
In: Um século de poesia, 2005
Editora: Globo


Número de visualizações em 2017: 29
Número de curtidas: 5
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários

Não há comentários postados até o momento. Seja o primeiro!

Postar um novo comentário