ANOTAÇÕES NOTURNAS

Densa noite de trovões.

Pelas janelas entram anjos
cintilantes.
Se apenas um me tocar
certamente com ele partirei em
fulgor.

Ainda falta muito para amanhecer,
se é que ainda haverá
amanhecer.

Assim aconteceu uma vez,
ou muitas vezes,
o fim do mundo.

Se não for assim
desta vez,
alguém poderá estar lendo
agora
estas anotações
do que nesta noite abre
sobre mim
o coração tumultuoso
do céu.

Nesta noite,
nesta vez,
de que sairemos
(se dela sairmos)
sabendo apenas que
nesta vez,
por fim,
ainda não foi,
desta vez.


© RUY ESPINHEIRA FILHO _____ In: Milênios e outros poemas. São Paulo: Editora Patuá, 2016.


Número de visualizações em 2017: 201
Número de curtidas: 41
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários

Não há comentários postados até o momento. Seja o primeiro!

Postar um novo comentário