FÉ, ESPERANÇA E CARIDADE

Eram três anjos - e uma só mulher
Quando a infância corria alegre, à toa,
Como a primeira flor que, na lagoa,
Sobre o cristal das águas se revê,
Em minha infância refletiu-se a tua...
Beijei-te as mãos suaves, pequeninas,
Tinhas um palpitar de asas divinas...
Eras - o Anjo da Fé!...

Depois eu te revi... Na fronte branca,
Radiava entre pérolas mais franca,
A altiva c'roa que a beleza trança!...
Sob os passos da diva triunfante,
Ardente, humilde, arremessei minh'alma,
Por ti sonhei — triunfador — a palma,
Ó — Anjo da Esperança!... —

Hoje é o terceiro marco dessa história.
Calcinado aos relâmpagos da glória,
Descri do amor, zombei da eternidade!...
Ai, não! - Celeste e peregrina Déia,
Por ti em rosas mudam-se os martírios!
Há no teu seio a maciez dos lírios...
Anjo da Caridade!...


©Castro Alves

Número de visualizações em 2017: 1673
Número de curtidas: 99
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários (6)

muito bom
gostei
Paramim
Avatar do visitante

Antonio Torres · 16/08/2015, às 17h43

Lindo, apaixonante, Castro Alves estava inspirado e apaixonado: "O seio virginal que a mão recata,/Embalde o prende a mão... cresce, flutua..."
Gostei
Avatar do visitante

ana lucia dos santos almeida · 11/01/2018, às 00h37

Ana lúcia - 11/01/2018 `´as 00:31 Castro Alves foi um poeta encantador, adorei demais, alem do mais , minha linda mãe chama-se esperança e suas duas irmãs chamam-se ´fé e caridade Parabéns!

Postar um novo comentário