INÍCIO | POESIAS | POETAS | MÚSICOS | RÁDIO | VÍDEOS | LIVROS | RECENTES | CARTÕES | E-BOOKS | MURAL | FÓRUM | BLOGS | AGENDA | INSCRIÇÃO | CONTATO
 
 
VOLTAR
 
NOTÍCIAS SOBRE O POETA
 
RÁDIO DO POETA
 
:: POESIAS ::
 
A MINHA IRMÃ
ADORMECIDA
TU MOÇA, EU QUASE VELHO
A FONTE E A FLOR
A INVENÇÃO DO DIABO
A PARTIDA DA MONÇÃO
A TERNURA DO MAR
A VOZ DO SINO I
A VOZ DO SINO II
CANTIGAS PRAIANAS II
CANTIGAS PRAIANAS III
CANTIGAS PRAIANAS IV
CANTIGAS PRAIANAS IX
CANTIGAS PRAIANAS V
CANTIGAS PRAIANAS VI
CANTIGAS PRAIANAS VII
CANTIGAS PRAIANAS VIII
CARTAS A V. S.
DA CARTEIRA DE UM DOIDO
DE MANHÃ I
DE MANHÃ II
DE MANHÃ III
DESILUDIDA
DESLUMBRAMENTO
FANTASIAS DO LUAR
FOLHA SOLTA [NãO ME CULPEIS A MIM DE AMAR-VOS TANTO]
FOLHAS SOLTAS I [ONTEM, HOJE, AMANHã... COMO SIMBOLIZAR]
FOLHAS SOLTAS II [NEM Só O OLHAR DOS OLHOS DE QUEM AMA]
FRAGMENTOS DA "ARTE DE AMAR" I [DIZER MAL DAS MULHERES é COSTUME]
FRAGMENTOS DA "ARTE DE AMAR" II [OFENDI-TE... E, DEPOIS, VEJO-TE HUMILDEMENTE]
FRAGMENTOS DA "ARTE DE AMAR" III [NEM MESMO COM UMA FLOR...]
FRAGMENTOS DA "ARTE DE AMAR" IV [SE A TUA AMANTE é BELA]
FUGINDO AO CATIVEIRO
HORAS DE AMOR
LEMBRA! DIZ O PASSADO
MANHÃ DE SOL
MENINA E MOÇA
NO MAR LARGO
O DIA SEGUINTE DO AMOR
OLHOS VERDES
OMNIA VANITAS
ORAÇÃO PAGÃ
PALAVRAS AO MAR
PEQUENINO MORTO
PRIMEIRA SOMBRA
SAUDADE
SERENATA
SONHO PÓSTUMO I
SONHO PÓSTUMO II
SONHO PÓSTUMO III
SONHO PÓSTUMO IV
SONHO PÓSTUMO V
SONHO PÓSTUMO VI
SUGESTÕES DO CREPÚSCULO I
SUGESTÕES DO CREPÚSCULO II
SUGESTÕES DO CREPÚSCULO III
SUGESTÕES DO CREPÚSCULO IV
TROVAS
ÚLTIMA CONFIDÊNCIA
 
:: SONETOS ::
 
NO TEU ANIVERSÁRIO
A UM POETA MOÇO
CORRIDA DE AMOR
VELHO TEMA I
VELHO TEMA II
VELHO TEMA III
VELHO TEMA IV
VELHO TEMA V
CANTIGAS PRAIANAS V

V

Eu sou como aquela fonte
Que vai, tão triste, a chorar:
Desce da encosta do monte,
Corre em procura do mar.

Perdição da minha vida,
Meu amor! Bem compreendo
Onde vou nesta descida...
E vou chorando e descendo.

Pobre da fonte, baqueia
Na vargem, sempre a chorar,
E turva, turva de areia,
Corre... corre para o mar...

Perdição de minha vida,
Amor que me vais levando!
Terá fim esta descida?
Há de ter... Mas onde? E quando?

Com pouco mais que descaia
Lá vai a fonte parar:
Chega na beira da praia...
Morre nas ondas do mar...

©VICENTE DE CARVALHO
In Poemas e canções, 1928

Número de visualizações em 2017: 27323
Número de curtidas: 76
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários (1)

Gostei. desta. Poesia. me identifiquei. nos versos. Parabens. Ao poeta gostaria de poder ter face outras do. mesmo. Autor. Vicente...

Postar um novo comentário

CADASTRAR-SE NO QUADRO DE AVISOS | POR ONDE A VOZ ECOA | ÁREA ADMINISTRATIVA DOS POETAS | ENVIAR AVISO (SOMENTE ADMINISTRADORES)
FacebookOrkutTwitterGPlusYoutubeMyspaceDhittPaltalkRSS
 
Copyright 2001 - 2013 - A Voz da Poesia Falando ao Coração - Design GamaBrasil