INÍCIO | POESIAS | POETAS | MÚSICOS | RÁDIO | VÍDEOS | LIVROS | RECENTES | CARTÕES | E-BOOKS | MURAL | FÓRUM | BLOGS | AGENDA | INSCRIÇÃO | CONTATO
 
 
VOLTAR
 
NOTÍCIAS SOBRE O POETA
 
RÁDIO DO POETA
 
:: POESIAS ::
 
A CANÇÃO DE MARIA
A ESTRELA
A LUA
A MORTE ABSOLUTA
A MORTE DE PÃ
A NINFA
A ROSA
À SOMBRA DAS ARAUCÁRIAS
A VIDA ASSIM NOS AFEIÇOA
ADEUS, AMOR
ÁGUA-FORTE
ALUMBRAMENTO
ANDORINHA
ANTOLOGIA
AO CREPÚSCULO
ARTE DE AMAR
AS TRÊS MARIAS
AUTO-RETRATO
BALADA DAS TRÊS MULHERES DO SABONETE ARAXÁ
BELO BELO
BELO BELO [2]
BODA ESPIRITUAL
CANÇÃO
CANÇÃO DO VENTO E DA MINHA VIDA
CANÇÃO PARA A MINHA MORTE
CANTIGA
CANTIGA DE AMOR
CANTO DE NATAL
CARTAS DE MEU AVÔ
CASA GRANDE & SENZALA
CÉU
CONFIDÊNCIA
CONTRIÇÃO
CREPÚSCULO DE OUTONO
DELÍRIO
DENTRO DA NOITE
DESALENTO
DESENCANTO
ELEGIA PARA MINHA MÃE
EMBALO
ENQUANTO A CHUVA CAI...
ENQUANTO MORREM AS ROSAS
ENTREVISTA
EPÍGRAFE
EPÍLOGO
ESTRELA DA MANHÃ
EU VI UMA ROSA
FLORES MURCHAS
HIATO
I — RONDÓ DE EFEITO
II — COLÓQUIO SENTIMENTAL
IMPROVISO [1]
INFÂNCIA
INGÊNUO ENLEIO
INSCRIÇÃO
IRENE NO CÉU
MADRIGAL
MADRIGAL MUITO FÁCIL
MADRUGADA
MAÍSA
MANUEL BANDEIRA
MASCARADA
MINHA GRANDE TERNURA
MINHA TERRA
MOMENTO NUM CAFÉ
MOTE E GLOSAS
MULHERES
NAMORADOS
NATAL
NEOLOGISMO
NOVA POÉTICA
NU
O ANEL DE VIDRO
O ANJO DA GUARDA
O BEIJO
O BICHO
O CRUCIFIXO
O EXEMPLO DAS ROSAS
O IMPOSSÍVEL CARINHO
O INÚTIL LUAR
O LUTADOR
O MARTELO
O RIO
O SUAVE MILAGRE
O ÚLTIMO POEMA
OCEANO
ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DA BOA MORTE
ORAÇÃO A TERESINHA DO MENINO JESUS
OS SAPOS
OUTRA TROVA
PAISAGEM NOTURNA
PALINÓDIA
PARDALZINHO
PEREGRINAÇÃO [1]
PISCINA
PLENITUDE
PNEUMOTÓRAX
POEMA DE FINADOS
POEMA DESENTRANHADO DE UMA PROSA DE AUGUSTO FREDERICO SCHMIDT
POEMA DO BECO
POEMA DO MAIS TRISTE MAIO
POEMETO ERÓTICO
POÉTICA
PORQUINHO-DA-ÍNDIA
PORTUGAL MEU AVOZINHO
POUSA A MÃO NA MINHA TESTA
PREPARAÇÃO PARA A MORTE
PRESEPE
PRIMEIRA CANÇÃO DO BECO
PROFUNDAMENTE
PROGRAMA PARA DEPOIS DE MINHA MORTE
RECIFE
RIMANCETE
RONDÓ DOS CAVALINHOS
SACHA E O POETA
SEGUNDA CANÇÃO DO BECO
TEMAS E VOLTAS
TERESA
TERNURA
TESTAMENTO
TEU NOME
THIAGO DE MELLO
TOADA
TREM DE FERRO
TRÊS IDADES
TRÊS LETRAS PARA MELODIAS DE VILLA-LOBOS
TROVA
TU QUE ME DESTE O TEU CUIDADO...
UBIQÜIDADE
ÚLTIMA CANÇÃO DO BECO
UNIDADE
VELHA CHÁCARA
VERSOS DE NATAL
VERSOS ESCRITOS N'ÁGUA
VITA NUOVA
VOLTA
VOU-ME EMBORA PRA PASÁRGADA
 
:: SONETOS ::
 
À MANEIRA DE... OLEGÁRIO MARIANO
A MINHA IRMÃ
IMPROVISO [3]
IRMÃ
MAL SEM MUDANÇA
O PALACETE DOS AMORES
PEREGRINAÇÃO [2]
RENÚNCIA
SONETO INGLÊS N.º 1
SONETO INGLÊS N.º 2
SONETO ITALIANO
SONETO PLAGIADO DE AUGUSTO FREDERICO SCHMIDT
SONETO SONHADO
SONHO BRANCO
UM SORRISO
VARIAÇÕES SÉRIAS EM FORMA DE SONETO
VONTADE DE MORRER
 
:: CRÔNICAS ::
 
DO MILAGRE
RECIFE

Há que tempo que não te vejo!
Não foi por querer, não pude.
Nesse ponto a vida me foi madrasta,
Recife.

Mas não houve dia em que não te sentisse dentro de mim:
Nos ossos, nos olhos, nos ouvidos, no sangue, na carne,
Recife.

Não como és hoje,
Mas como eras na minha infância,
Quando as crianças brincavam no meio da rua
(Não havia ainda automóveis)
E os adultos conversavam de cadeira nas calçadas
(Continuavas província,
Recife.)

Eras um Recife sem arranha-céus, sem comunistas,
Sem Arrais, e com arroz,
Muito arroz,
De água e sal,
Recife.

Um Recife ainda do tempo em que o meu avô materno
Alforriava espontaneamente
A moça preta Tomásia, sua escrava,
Que depois foi a nossa cozinheira
Até morrer,
Recife.

Ainda existirá a velha casa senhorial do Monteiro?
Meu sonho era acabar morando e morrendo
Na velha casa do Monteiro.
Já que não pode ser,
Quero, na hora da morte, estar lúcido
Para te mandar a ti o meu último pensamento,
Recife.

Ah Recife, Recife, non possidebis ossa mea!
Nem os ossos nem o busto.
Que me adianta um busto depois de eu morto?
Depois de morto não me interessará senão, se possível,
Um cantinho no céu,
“Se o não sonharam”, como disse o meu querido João de Deus,

©MANUEL BANDEIRA
In Estrela da tarde, 1960

Número de visualizações em 2017: 2111
Número de curtidas: 125
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários

Não há comentários postados até o momento. Seja o primeiro!

Postar um novo comentário

CADASTRAR-SE NO QUADRO DE AVISOS | POR ONDE A VOZ ECOA | ÁREA ADMINISTRATIVA DOS POETAS | ENVIAR AVISO (SOMENTE ADMINISTRADORES)
FacebookOrkutTwitterGPlusYoutubeMyspaceDhittPaltalkRSS
 
Copyright 2001 - 2013 - A Voz da Poesia Falando ao Coração - Design GamaBrasil