INÍCIO | POESIAS | POETAS | MÚSICOS | RÁDIO | VÍDEOS | LIVROS | RECENTES | CARTÕES | E-BOOKS | MURAL | FÓRUM | BLOGS | AGENDA | INSCRIÇÃO | CONTATO
 
 
VOLTAR
 
NOTÍCIAS SOBRE O POETA
 
RÁDIO DO POETA
 
:: POESIAS ::
 
A CANÇÃO DE MARIA
A ESTRELA
A LUA
A MORTE ABSOLUTA
A MORTE DE PÃ
A NINFA
A ROSA
À SOMBRA DAS ARAUCÁRIAS
A VIDA ASSIM NOS AFEIÇOA
ADEUS, AMOR
ÁGUA-FORTE
ALUMBRAMENTO
ANDORINHA
ANTOLOGIA
AO CREPÚSCULO
ARTE DE AMAR
AS TRÊS MARIAS
AUTO-RETRATO
BALADA DAS TRÊS MULHERES DO SABONETE ARAXÁ
BELO BELO
BELO BELO [2]
BODA ESPIRITUAL
CANÇÃO
CANÇÃO DO VENTO E DA MINHA VIDA
CANÇÃO PARA A MINHA MORTE
CANTIGA
CANTIGA DE AMOR
CANTO DE NATAL
CARTAS DE MEU AVÔ
CASA GRANDE & SENZALA
CÉU
CONFIDÊNCIA
CONTRIÇÃO
CREPÚSCULO DE OUTONO
DELÍRIO
DENTRO DA NOITE
DESALENTO
DESENCANTO
ELEGIA PARA MINHA MÃE
EMBALO
ENQUANTO A CHUVA CAI...
ENQUANTO MORREM AS ROSAS
ENTREVISTA
EPÍGRAFE
EPÍLOGO
ESTRELA DA MANHÃ
EU VI UMA ROSA
FLORES MURCHAS
HIATO
I — RONDÓ DE EFEITO
II — COLÓQUIO SENTIMENTAL
IMPROVISO [1]
INFÂNCIA
INGÊNUO ENLEIO
INSCRIÇÃO
IRENE NO CÉU
MADRIGAL
MADRIGAL MUITO FÁCIL
MADRUGADA
MAÍSA
MANUEL BANDEIRA
MASCARADA
MINHA GRANDE TERNURA
MINHA TERRA
MOMENTO NUM CAFÉ
MOTE E GLOSAS
MULHERES
NAMORADOS
NATAL
NEOLOGISMO
NOVA POÉTICA
NU
O ANEL DE VIDRO
O ANJO DA GUARDA
O BEIJO
O BICHO
O CRUCIFIXO
O EXEMPLO DAS ROSAS
O IMPOSSÍVEL CARINHO
O INÚTIL LUAR
O LUTADOR
O MARTELO
O RIO
O SUAVE MILAGRE
O ÚLTIMO POEMA
OCEANO
ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DA BOA MORTE
ORAÇÃO A TERESINHA DO MENINO JESUS
OS SAPOS
OUTRA TROVA
PAISAGEM NOTURNA
PALINÓDIA
PARDALZINHO
PEREGRINAÇÃO [1]
PISCINA
PLENITUDE
PNEUMOTÓRAX
POEMA DE FINADOS
POEMA DESENTRANHADO DE UMA PROSA DE AUGUSTO FREDERICO SCHMIDT
POEMA DO BECO
POEMA DO MAIS TRISTE MAIO
POEMETO ERÓTICO
POÉTICA
PORQUINHO-DA-ÍNDIA
PORTUGAL MEU AVOZINHO
POUSA A MÃO NA MINHA TESTA
PREPARAÇÃO PARA A MORTE
PRESEPE
PRIMEIRA CANÇÃO DO BECO
PROFUNDAMENTE
PROGRAMA PARA DEPOIS DE MINHA MORTE
RECIFE
RIMANCETE
RONDÓ DOS CAVALINHOS
SACHA E O POETA
SEGUNDA CANÇÃO DO BECO
TEMAS E VOLTAS
TERESA
TERNURA
TESTAMENTO
TEU NOME
THIAGO DE MELLO
TOADA
TREM DE FERRO
TRÊS IDADES
TRÊS LETRAS PARA MELODIAS DE VILLA-LOBOS
TROVA
TU QUE ME DESTE O TEU CUIDADO...
UBIQÜIDADE
ÚLTIMA CANÇÃO DO BECO
UNIDADE
VELHA CHÁCARA
VERSOS DE NATAL
VERSOS ESCRITOS N'ÁGUA
VITA NUOVA
VOLTA
VOU-ME EMBORA PRA PASÁRGADA
 
:: SONETOS ::
 
À MANEIRA DE... OLEGÁRIO MARIANO
A MINHA IRMÃ
IMPROVISO [3]
IRMÃ
MAL SEM MUDANÇA
O PALACETE DOS AMORES
PEREGRINAÇÃO [2]
RENÚNCIA
SONETO INGLÊS N.º 1
SONETO INGLÊS N.º 2
SONETO ITALIANO
SONETO PLAGIADO DE AUGUSTO FREDERICO SCHMIDT
SONETO SONHADO
SONHO BRANCO
UM SORRISO
VARIAÇÕES SÉRIAS EM FORMA DE SONETO
VONTADE DE MORRER
ELEGIA PARA MINHA MÃE

Nesta quebrada de montanha, donde o mar
Parece manso como em recôncavo de angra,
Tudo o que há de infantil dentro em minhalma sangra
Na dor de te ter visto, ó Mãe, agonizar!

Entregue à sugestão evocadora do ermo,
Em pranto rememoro o teu lento martírio
Até quando exalaste, à ardente luz de um círio,
A alma que se transia atada ao corpo enfermo.

Relembro o rosto magro, onde a morte deixou
Uma expressão como que atônita de espanto.
(Que imagem de tão grave e prestigioso encanto
Em teus olhos já meio inânimes passou?)

Revejo os teus pequenos pés... A mão franzina...
Tão musical... A fronte baixa... A boca exangue...
A duas gerações passara já teu sangue
— Eras avó —, e morta eras uma menina.

No silêncio daquela noite funeral
Ouço a voz de meu pai chamando por teu nome.
Mas não posso pensar em ti sem que me tome
Todo a recordação medonha de teu mal!

Tu, cujo coração era cheio de medos
— Temias os trovões, o telegrama, o escuro —
Ah, pobrezinha! um fim terrível, o mais duro,
É que te sufocou com implacáveis dedos.

Agora se me despedaça o coração
A cada pormenor, e o revivo cem vezes,
E choro neste instante o pranto de três meses
(Durante os quais sorri para tua ilusão!),

Enquanto que a buscar as solitárias ânsias,
As mágoas sem consolo, as vontades quebradas,
Voa, diluindo-se no longe das distâncias,
A prece vesperal em fundas badaladas!

© MANUEL BANDEIRA
In A cinza das horas, 1917

Número de visualizações em 2017: 1214
Número de curtidas: 141
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários

Não há comentários postados até o momento. Seja o primeiro!

Postar um novo comentário

CADASTRAR-SE NO QUADRO DE AVISOS | POR ONDE A VOZ ECOA | ÁREA ADMINISTRATIVA DOS POETAS | ENVIAR AVISO (SOMENTE ADMINISTRADORES)
FacebookOrkutTwitterGPlusYoutubeMyspaceDhittPaltalkRSS
 
Copyright 2001 - 2013 - A Voz da Poesia Falando ao Coração - Design GamaBrasil