INÍCIO | POESIAS | POETAS | MÚSICOS | RÁDIO | VÍDEOS | LIVROS | RECENTES | CARTÕES | E-BOOKS | MURAL | FÓRUM | BLOGS | AGENDA | INSCRIÇÃO | CONTATO
 
 
VOLTAR
 
NOTÍCIAS SOBRE O POETA
 
RÁDIO DO POETA
 
:: POESIAS ::
 
A ALVORADA DO AMOR
A AVENIDA DAS LÁGRIMAS
A CANÇÃO DE ROMEU
A CILADA
A GONÇALVES DIAS
A IARA
A MISSÃO DE PUMA
A MONTANHA
A MORTE DE ORFEU
A MORTE DE TAPIR
A RAINHA DE SABÁ
A RONDA NOTURNA
A SESTA DE NERO
A TENTAÇÃO DE XENÓCRATES
A UM GRANDE HOMEM
A UM POETA
A UM TRISTE
A UM VIOLINISTA
A VELHICE DE ASPÁSIA
A VOZ DO AMOR
ABISAG
ABSTRAÇÃO
ABYSSUS
ANCHIETA
AOS MEUS AMIGOS DE SÃO PAULO
AS ÁRVORES
AS ESTRELAS
AS NUVENS
AS ONDAS
AS VIAGENS I [PRIMEIRA MIGRAÇÃO]
AS VIAGENS II [OS FENÍCIOS]
AS VIAGENS III [ISRAEL]
AS VIAGENS IV [ALEXANDRE]
AS VIAGENS IX [O BRASIL]
AS VIAGENS V [CÉSAR]
AS VIAGENS VI [OS BÁRBAROS]
AS VIAGENS VII [AS CRUZADAS]
AS VIAGENS VIII [AS ÍNDIAS]
AS VIAGENS X [O VOADOR]
AS VIAGENS XI [O PÓLO]
AS VIAGENS XII [A MORTE]
ASSOMBRAÇÃO
AVATARA
BALADAS ROMÂNTICAS
BEETHOVEN SURDO
BEIJO ETERNO
BENEDICITE!
CAMPO-SANTO
CANÇÃO
CANTILENA
CAOS
CICLO
CLEÓPATRA
CONSOLAÇÃO
CREPÚSCULO NA MATA
CRIAÇÃO
DANTE NO PARAÍSO
DE VOLTA DO BAILE
DEFESA
DELENDA CARTAGO!
DENTRO DA NOITE
DESTERRO
DIÁLOGO
DIAMANTE NEGRO
DIZIAM QUE...
DORMINDO
DUALISMO
EDIPO
ESTÂNCIAS
ESTUÁRIO
EUTANÁSIA
FOGO-FÁTUO
FRUTIDORO
GIOCONDA
GUERREIRA
HINO À TARDE
IDA
IN EXTREMIS
INANIA VERBA
INCONTENTADO
INOCÊNCIA
INTROIBO!
LENDO A ILÍADA
LÍNGUA PORTUGUESA
MADALENA
MALDIÇÃO
MANHÃ DE VERÃO
MARCHA FÚNEBRE
MARINHA
MATER
MATERNIDADE
MEDALHA ANTIGA
MESSALINA
MESSÍDORO
MICROCOSMO
MIDSUMMER'S NIGHT'S DREAM
MIGUEL ÂNGELO VELHO
MILAGRE
MILAGRE
MILTON CEGO
MÚSICA BRASILEIRA
NA TEBAIDA
NEL MEZZO DEL CAMIN...
NEW YORK
NO CÁRCERE
NO LIMIAR DA MORTE
NO TRONCO DE GOA
NOITE DE INVERNO
NOTURNO
NUMA CONCHA
O CAÇADOR DE ESMERALDAS
O CAVALEIRO POBRE
O COMETA
O CREPÚSCULO DA BELEZA
O CREPÚSCULO DOS DEUSES
O INCÊNDIO DE ROMA
O JULGAMENTO DE FRINÉIA
O OITAVO PECADO
O SONHO DE MARCO ANTÔNIO
O TEAR
O VALE
OLHANDO A CORRENTE
ORAÇÃO A CIBELE
OS AMORES DA ABELHA
OS AMORES DA ARANHA
OS RIOS
OS SINOS
PALAVRAS
PALMEIRA IMPERIAL
PANTUM
PARA A RAINHA DONA AMÉLIA DE PORTUGAL
PARÁFRASE DE BAUDELAIRE
PÁTRIA
PECADOR
PENETRÁLIA
PERFEIÇÃO
PESADELO
POMBA E CHACAL
PRECE
PRIMAVERA
PROFISSÃO DE FÉ
QUARENTA ANOS
REI DESTRONADO
REMORSO
REQUIESCAT
RESPOSTAS NA SOMBRA
RESSURREIÇÃO
RIO ABAIXO
RIOS E PÂNTANOS
ROMEU E JULIETA
RUTH
SACRILÉGIO
SAGRES
SAHARA VITAE
SALUTARIS PORTA
SAMARITANA
SATÂNIA
SEMPER IMPENDENT...
SINFONIA
SOBRE AS BODAS DE UM SEXAGENÁRIO
SOLITUDO
SONATA AO CREPÚSCULO
SONHO
SONHO
SPERATE, CREPERI!
SÚPLICA
SURDINA
TÉDIO
TENHO FRIO E ARDO EM FEBRE!
TERCETOS
TRILOGIA
ÚLTIMA PÁGINA
ÚLTIMO CARNAVAL
UM BEIJO
UM TRECHO DE TH. GAUTIER
VANITAS
VELHA PÁGINA
VELHAS ÁRVORES
VESTÍGIOS
VIA-LÁCTEA SONETO I
VIA-LÁCTEA SONETO II
VIA-LÁCTEA SONETO III
VIA-LÁCTEA SONETO IV
VIA-LÁCTEA SONETO VI
VIA-LÁCTEA SONETO IX
VIA-LÁCTEA SONETO V
VIA-LÁCTEA SONETO VII
VIA-LÁCTEA SONETO VIII
VIA-LÁCTEA SONETO X
VIA-LÁCTEA SONETO XI
VIA-LÁCTEA SONETO XII
VIA-LÁCTEA SONETO XIII
VIA-LÁCTEA SONETO XIV
VIA-LÁCTEA SONETO XIX
VIA-LÁCTEA SONETO XV
VIA-LÁCTEA SONETO XVI
VIA-LÁCTEA SONETO XVII
VIA-LÁCTEA SONETO XVIII
VIA-LÁCTEA SONETO XX
VIA-LÁCTEA SONETO XXI
VIA-LÁCTEA SONETO XXII
VIA-LÁCTEA SONETO XXIII
VIA-LÁCTEA SONETO XXIV
VIA-LÁCTEA SONETO XXIX
VIA-LÁCTEA SONETO XXV
VIA-LÁCTEA SONETO XXVI
VIA-LÁCTEA SONETO XXVII
VIA-LÁCTEA SONETO XXVIII
VIA-LÁCTEA SONETO XXX
VIA-LÁCTEA SONETO XXXI
VIA-LÁCTEA SONETO XXXII
VIA-LÁCTEA SONETO XXXIII
VIA-LÁCTEA SONETO XXXIV
VIA-LÁCTEA SONETO XXXV
VILA RICA
VILFREDO
VINHA DE NABOT
VIRGENS MORTAS
VITA NUOVA
VULNERANT OMNES, ULTIMA NECAT
 
:: SONETOS ::
 
EM UMA TARDE DE OUTONO
NATAL [1]
 
:: POESIAS INFANTIS ::
 
A AVÓ
A BONECA
A BORBOLETA
A CASA
A CORAGEM
A INFÂNCIA
A MADRUGADA
A MOCIDADE
A PÁTRIA
A RÃ E O TESOURO
A VELHICE
A VIDA
ANO BOM
AS ESTAÇÕES
AS ESTRELAS
AS FLORES
AS FORMIGAS
AS VELHAS ÁRVORES
AVE MARIA
DEUS
DOMINGO
HINO À BANDEIRA NACIONAL
JUSTIÇA
MEIA NOITE
MEIO-DIA
MODÉSTIA
NATAL [2]
O AVÔ
O BOI
O CREDO
O LEÃO E O CAMUNDONGO
O LOBO E O CÃO
O PÁSSARO CATIVO
O REMÉDIO
O RIO
O SOL
O SOLDADO E A TROMBETA
O TEMPO
O TRABALHO
O UNIVERSO
OS MESES
OS POBRES
OS REIS MAGOS
PLUTÃO
AVE MARIA

Meu filho! termina o dia...
A primeira estrela brilha...
Procura a tua cartilha,
E reza a Ave Maria!

O gado volta aos currais...
O sino canta na igreja...
Pede a Deus que te proteja
E que dê vida a teus pais!

Ave Maria!... Ajoelhado,
Pede a Deus que, generoso,
Te faça justo e bondoso,
Filho bom, e homem honrado;

Que teus pais conserve aqui
Para que possas, um dia,
Pagar-lhes em alegria
O que sofreram por ti.

Reza, e procura o teu leito,
Para adormecer contente;
Dormirás tranqüilamente,
Se disseres satisfeito:

“Hoje, pratiquei o bem:
Não tive um dia vazio,
Trabalhei, não fui vadio,
E não fiz mal a ninguém.”

© OLAVO BILAC
In Poesias Infantis (2ª Ed.), 1929

Número de visualizações em 2017: 1779
Número de curtidas: 99
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários (8)

Eu tinha 8 anos, quando em meu livro de leitura , 2º ano primário ,li esta poesia pela primeira vez. Amei e nunca mais esqueci . Hoje com 66 anos eu a encontrei Sorri...chorei...copiei.Dormirei feliz , obrigado!
Avatar do visitante

Alberto de A. Sampaio · 07/11/2015, às 07h40

É motivo de contentamentos para todos, poder passar para seus filhos, esta poesia de Olavo Bilac. Uma página enriquecida com uma mensagem religiosa e de amor. Alberto Sampaio (blog do Painho)
Avatar do visitante

Alberto de A.Sampaio · 07/11/2015, às 08h00

Recordo-me do Grupo Escolar Castro Alves em Jequié-BA., onde iniciei o curso primário. A gramática de Olga de Oliveira,, a tabuada de Teobaldo Miranda e a palmatória era quem mandava.Caderno de caligrafia para melhorar a escrita e a matéria Educação Moral e Cívica que ensinava tudo de bom! Hasteava-se com orgulho, a bandeira brasileira e cantava com emoção, o Hino Nacional. Lia-se Castro Alves, Cassimiro de Abreu, Gonçalves Dias, José de Alencar e Olavo Bilac, entre tantos escritores e pensadores da época,. Foi lá que aprendi para nunca mais esquecer, as poesias Espumas Flutuantes de Castro Alves, Ave Maria de Olavo Bilac , Canção do Exílio de Gonçalves Dias,Iracema de José de Alencar, Vou-me Embora pra Pasárgada de Manuel Bandeira, As Pombas de Raimundo Correia e as obras literárias de Ruy Barbosa. Asa.
Linda...uma verdadeira preçe...isso que sempre recitei á minhas filhas...aprendi em meu livro na escola...saudades...hoje recebi pela internet ...uma das minhas filhas ,andou-me...emocionada...ate agora...e a certeza de que atraves desse maravilhoso poeta...ensinei algo muito lindo ao meu pedaçinho de gente...
Avatar do visitante

maria de Lourdes Dantas Murakami · 27/11/2016, às 17h07

Lembranças do grupo escolar...eu com oito anos recitando a poesia Ave Maria, de Olavo Bilac.Atualmente com 69 anos,irei recitá-la para meus amigos da melhor idade de Vargem Grande Paulista,no show de talentos no dia29/11/2016.Feliz e grata a Deus!!!
Avatar do visitante

Waldete Silva Rezende Barbosa · 15/12/2016, às 18h38

Me fez voltar aos meus tempos de criança na escola, lá na roça. No meu livro tinha este poema e eu o decorei. Confesso que fiquei emocionada. Fiz uma viagem ao passado. E, melhor, ainda, fiz esta viagem em slides de Power Point, com uma foto tirada por mim, de um por-do-sol lindo na torre da matriz. Como fundo musical coloquei Ave Maria de Schubert, com Valdir Azevedo. É realmente uma verdadeira prece.
Avatar do visitante

Antonio Ferreira da Silva · 30/05/2017, às 14h40

Aprendi com minha mãe e hoje encontrei escrita, graças a internet. obrigado dona Rosilda, que Deus te conceda a graça que bem mereces.
Avatar do visitante

Ana Néri Noronha de Lima Vasconcelos · 29/06/2017, às 22h49

Poesia linda como tudo do Olavo Bilac! Que bom seria se as mães de de hoje ensinassem seus filhos a rezar com certeza a juventude não estaria tão perdida assim.

Postar um novo comentário

CADASTRAR-SE NO QUADRO DE AVISOS | POR ONDE A VOZ ECOA | ÁREA ADMINISTRATIVA DOS POETAS | ENVIAR AVISO (SOMENTE ADMINISTRADORES)
FacebookOrkutTwitterGPlusYoutubeMyspaceDhittPaltalkRSS
 
Copyright 2001 - 2013 - A Voz da Poesia Falando ao Coração - Design GamaBrasil