INCONSTÂNCIA

Procurei o amor que me mentiu.
Pedi à Vida mais do que ela dava.
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu!

Tanto clarão nas trevas refulgiu,
E tanto beijo a boca me queimava!
E era o sol que os longes deslumbrava
Igual a tanto sol que me fugiu!

Passei a vida a amar e a esquecer...
Um sol a apagar-se e outro a acender
Nas brumas dos atalhos por onde ando...

E este amor que assim me vai fugindo
É igual a outro amor que vai surgindo,
Que há de partir também... nem eu sei quando...


© FLORBELA ESPANCA
In Livro de Sóror Saudade, 1923


FONTE(S) DO(S) ÁUDIO(S):

Inconstância, poema de Florbela Espanca
Música: Luiz Antonio Batista da Rocha
Arranjo e interpretação: Gabriel Alves Gonçalves
In: http://www.outorga.com.br/
© Luiz Antonio Batista da Rocha
________________________________

Número de visualizações em 2017: 914
Número de curtidas: 118
 
Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twitter Compartilhar via Google+

Comentários

Não há comentários postados até o momento. Seja o primeiro!

Postar um novo comentário